pele molhada


Chove,
Sobre a pele molhada.
E a água que cai
Não a sinto gelada.

És uma chuva de verão.
Que cai nos terraços do meu coração.

Que fazer se contigo
Eu me sinto Tua?…
A minha alma
Entrega-se nua…

E as contradições
Da minha sensibilidade.
Em nada me ajudam
De volta à realidade.

Por isso me sinto
Completamente perdida,
Tentando entender
Os sentidos da vida.




4 comentários:

G.D.M. (Wolf) disse...

Vamos vivendo..um dia após outro..

Excelentemente descrito.. e sentido claro.

Bj

Esmeralda disse...

Já conseguiste entender, ou ainda andas perdida.
Há muito tempo que me perdi, sem sequer o saber. Fizeram-me perder e nem mo disseram.
Ando perdida…
….sem saber que há vida do lado de lá do meu labirinto.

Gostei muito, irei voltar.

beijocas

Som do Silêncio disse...

Mais um texto fantástico, mas eu sou suspeita, gosto de tudo o que escreves!

Beijo terno

Carol Barcellos disse...

Que maravilha de poema! Como eu consigo entender cada palavra nesse texto! É tão triste, mas tão bom ao mesmo tempo...

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o)